Company Logo

Terapia Ocupacional

teste7

Fonoaudiologia

Fonoaudiologia

Ciência cuja atuação tem enfoque na comunicação, tanto oral (pela fala) quanto escrita (ler e escrever), bem como na audição e nas funções orofaciais (sugar, engolir, mastigar e respirar).

A atuação fonoaudiológica ocorre em todas as idades, sem restrições. Da avaliação e auxílio do recém-nascido, à atuação em idosos tanto pela queixa de audição, quanto pelas outras dificuldades que surgem com o passar da idade.

Na maternidade, a Lei Federal 12.303/10 garante a realização do Teste da Orelhinha, nome popular da Triagem Auditiva Neonatal, ao recém-nascido. Este exame é de grande importância, pois pode diagnosticar possíveis dificuldades auditivas. Em 2014, a Lei nº13.002/14 também conferiu a todos os recém-nascidos o direito da avaliação do frênulo da língua, para verificar futuros problemas na amamentação, dentição e língua presa.

 

Nos casos de fissura labiopalatina, a Fonoaudiologia pode, ainda, auxiliar mamãe e bebê nas seguintes áreas:

- Amamentação: Alguns tipos de fissura labiopalatina podem levar à dificuldade na pega ao seio materno ou, até mesmo na mamadeira. O fonoaudiólogo é o profissional apto a realizar a avaliação da sucção do bebê, promovendo ajustes que favoreçam o aleitamento materno ao peito ou, para alguns casos, oferecendo alternativas para a oferta do leite materno por meio de utensílios como mamadeiras.

 

- Linguagem: Para a criança falar, é necessário o adequado desenvolvimento da linguagem (capacidade de compreender e dar significado a tudo que lhe cerca). Ao longo dos primeiros meses já é possível avaliar se este desenvolvimento está adequado para a idade. O balbucio, as primeiras palavras, a compreensão de ordens, são as etapas iniciais essenciais para que a criança, em mais alguns meses, já tenha condições de expressar suas vontades e necessidades por meio da fala. O acompanhamento fonoaudiológico permite, ainda, a orientação de estratégias simples de estimulação da linguagem, que a família pode incorporar em seu cotidiano e realizar com a criança. A criança com fissura labiopalatina tem condições para passar por todas as etapas do desenvolvimento da linguagem, ou seja, a fissura não causa nenhum tipo de atraso desta importante habilidade.

 

- Fala: Em relação à fala, algumas crianças podem desenvolver articulações compensatórias, como forma de falar o som de determinada letra sem a necessidade de usar as estruturas comprometidas pela fissura de palato. Nestes casos, o tratamento fonoaudiológico é indicado para a correção destes sons, conseguindo uma melhora importante da fala.

 

- Adequação da postura das estruturas da face: Muitas vezes a criança aprende um jeito errado de colocar a língua para falar, engolir ou, até mesmo, ficar com a boca fechada. Quando isso acontece, esta postura inadequada pode prejudicar o crescimento de outras estruturas, como os dentes, por exemplo.

Uma segunda situação, quando o adulto vai realizar a cirurgia ortognática, o acompanhamento fonoaudiológico tem como benefício o ajuste da musculatura da face e da língua, estruturas estas que serão submetidas à cirurgia e que necessitarão de ajustes tanto da força dos músculos, quanto da postura dos mesmos, evitando assim a recidiva do tratamento.

 

Assim, o acompanhamento fonoaudiológico nos casos de fissura labiopalatina ocorre desde as primeiras horas de vida e segue até a fase adulta, quando é possível verificar todo o progresso alcançado e assim, alcançar a alta fonoaudiológica.

Fga. Daniela Barbosa

Cirurgia Plástica

teste5

Odontologia - Ortodontista

O setor de ortodontia visa prevenir as alterações relacionadas ao crescimento e desenvolvimento craniofacial e à oclusão dentária. Atua na reabilitação de crianças a partir dos 6 anos de idade, na prevenção, na interceptação e na correção dos mais variados tipos de alterações do envolvimento dentoesquelético. Em conjunto com as especialidades de Cirurgia Plástica e Cirurgia Bucomaxilofacial, faz o preparo e o planejamento para a realização de cirurgias reabilitadoras.

Odontologia - Clínica Geral

O setor de odontologia tem por objetivo promover a saúde bucal dos pacientes com fissura labiopalatina e anomalias craniofaciais. São realizadas ações de prevenção, diagnóstico e tratamento das condições dentais e periodontais. Atua na ênfase da prevenção com orientações aos pais, às crianças e aos adolescentes; realiza procedimentos clínicos preventivos e curativos, proporcionando uma condição bucal  satisfatória para que as cirurgias reabilitadoras possam ser feitas com sucesso; orienta quanto ao processo de crescimento das arcadas e desenvolvimento  dentários quanto a suas possíveis anomalias e oferece suporte ao tratamento ortodôntico.

Audiologia

O Setor de Audiologia, no Cefil, realiza exame e acompanhamento nos pacientes que apresentam malformações da face, entre estas estão: as más formações auriculares e as fissuras lábiopalatinas. Uma das dificuldades que os pacientes com fissura lábiopalatina apresentam é a deficiência de ventilação nos ouvidos, chamada disfunção tubária. Essa patologia é o acúmulo de secreção (catarro) que prejudica a audição.O acompanhamento deve ser levado a sério, pois no caso das crianças pode acorrer até um atraso na aprendizageme com tratamento e acompanhamento adequado pode diminuir a possibilidade de algum problema auditivo futuro.
O setor disponibiliza de equipamentos modernos para atender crianças, adultos e idosos realizando audiometria tonal limiar, logoaudiometria e imitanciometria.
São realizados também atendimentos aos bebês, após a realização do teste da orelhinha, fazendo orientações aos pais sobre o desenvolvimento auditivo e se necessário realizando encaminhamento para um atendimento especializado. Neste setor também realizam acompanhamento: ao desenvolvimento das habilidades auditivas, aos pacientes de risco para perda auditiva, àqueles que foram ou serão submetidos á cirurgias otológicas e; orientações sobre o uso do Aparelho de Amplificação Sonora Individual (AASl) e durante sua (re)adaptação.

Serviço Social

O processo de reabilitação envolve a ação de uma equipe interdisciplinar, atuando o Serviço Social como mediador das relações entre paciente, familiares e comunidade.

Os principais objetivos do Serviço Social no CEFIL são:

  •     Viabilizar o acesso e a continuidade do tratamento;
  •     Prevenção ou intervenção em casos de abandono do tratamento;

Principais Atividades:

  •     Atendimento dos casos novos, através de atendimento individual e realização de estudo socioeconômico
  •     Orientação quantos aos recursos disponíveis para o tratamento;
  •     Prevenção e controle de abandono do tratamento;
  •     Encaminhamento dos pacientes e familiares aos recursos comunitários existentes no município; ( Mercado de Trabalho, Unidades de Saúde, Promotoria e  Conselho Tutelar)           Dinamização do processo de internação hospitalar para a realização das cirurgias;
  •     Visitas domiciliares e hospitalares quando necessárias.

Introdução

teste

Psicopedagogia

PSICOPEDAGOGIA

A Psicopedagogia vem ganhando cada vez mais seu espaço nas instituições escolares e nas clínicas. Essa ciência busca entender a forma como o ser humano constrói o conhecimento e consequentemente seu aprendizado. Aprendizado esse, que começa em seu nascimento e vai amadurecendo com o passar do tempo. Na idade escolar quando surgem algumas dificuldades em algumas crianças, o papel do pedagogo é identificar essas dificuldades e criar estratégias para que o aprendizado seja alcançado de maneira satisfatória.

Quando a criança com fissura labiopalatina apresenta comprometimento de fala e/ou audição, pode-se levar à dificuldades no aprendizado. Quando se fala errado, se escreve errado pois nos apoiamos na oralidade para reproduzir a escrita. O mesmo acontece por deficiência na audição, o paciente ouve mal ou processa mal as palavras, consequentemente transfere para a escrita.

Para tanto, o setor dispõe de testes e atividades para auxiliar no diagnóstico, podendo assim trabalhar de forma mais eficaz. Através de jogos e atividades direcionadas podemos ajudar o paciente na superação de suas dificuldades.

O setor da psicopedagogia busca atender e acompanhar o paciente em suas necessidades escolares estimulando-o e dando o suporte necessário para que a aprendizagem aconteça de forma eficaz. Lembrando que o apoio, o envolvimento e o comprometimento da família são fundamentais para a realização desse processo.

Nutrição

Crianças portadoras de fissura labiopalatina frequentemente apresentam dificuldades alimentares. Logo após o nascimento a amamentação materna pode estar dificultada. A presença da fissura do lábio e palato faz com que durante a amamentação ocorra uma deglutição excessiva de ar. Este processo pode desencadear engasgos, fadiga e cansaço e uma sucção ineficiente. A ingestão calórica inadequada pode levar a quadros variáveis de desnutrição e anemia e também influenciar no crescimento e desenvolvimento cognitivo da criança.

O setor de Nutrição do CEFIL inicia o acompanhamento dos bebês desde o nascimento. Realiza-se avaliações do estado nutricional da criança periodicamente. É ensinado aos pais técnicas corretas de amamentação assim como é indicado suplementações nutricionais quando necessário. O profissional Nutricionista ainda pode solicitar exames e encaminhar a criança para um atendimento especializado quando necessário.

Psicologia

O diagnóstico de uma fissura labiopalatina ou outra má-formação craniofacial quase sempre á acompanhada de grande stress por parte dos pais e familiares. O sonho de um bebê perfeito é interrompido. Os pais geralmente vivenciam uma crise com a qual lidarão de acordo com suas experiências, mecanismos pré-estabelecidos de defesa e aprendizado pessoal. Esta postura pode afetar negativamente o desenvolvimento da criança e a estrutura familiar.

O tratamento da criança com fissura labiopalatina compreende várias especialidades, a necessidade de terapias diversas e cirurgias. Esse processo pode desencadear reações como ansiedade, medo , expectativas e fantasias.

Durante o desenvolvimento da criança, problemas relacionados à linguagem podem vir acompanhados de dificuldades de expressão e inibição na escola. Isolamento, maior dependência dos pais e redução da capacidade verbal também podem ocorrer.

O serviço de psicologia do CEFIL trabalha de forma acolhedora com a criança portadora de fissura labiopalatina e seus familiares para que estejam preparados para enfrentar o processo de tratamento e reabilitação de forma saudável e segura.

Orientações e informações sobre a fissura labiopalatina podem ser iniciadas antes mesmo do nascimento do bebê, quando o diagnóstico é realizado no período do pré natal pelo exame de ultrassonografia. Esta conduta interfere de forma muito positiva para que a futura mãe tenha uma gestação mais tranquila e esteja psicologicamente preparada.

Essa abordagem possibilita que se crie um espaço para que todos os envolvidos no processo de reabilitação possam expor seus medos, conflitos, angústias e ansiedade, conseguindo desta forma, desenvolver condições para a plena integridade física, psicológica, afetiva e social.




Powered by Joomla!®. Designed by: joomla 1.6 templates dedicated server hosting Valid XHTML and CSS.